Fake News

O “A Gente Fala Mesmo” foi se informar sobre ‘Fake News’.

Nosso objetivo é esclarecer o eleitor para não cair em notícias falsas, as dicas são bem simples e fáceis.

Você sabia que uma notícia falsa se espalha 70% mais rápido que uma notícia verdadeira?

Você sabia que o Youtube é o local onde mais se concentram e circulam as notícias falsas?

E os “robôs”? “Robôs”: são usados nas redes sociais para propagar informações falsas, maliciosas, ou gerar um debate artificial. Para isso, precisam ter o maior número possível de seguidores. Mas como um perfil automatizado pode criar uma rede em torno de si?

Os robôs têm maior facilidade de propagação no Twitter do que no Facebook por uma série de motivos. O padrão de texto do Twitter (280 caracteres) gera uma limitação de comunicação que facilita a imitação da ação humana. Além disso, o uso de @ para marcar usuários, mesmo que estes não estejam conectados a sua conta na rede, permite que os robôs marquem pessoas reais aleatoriamente para inserir um fator que se assemelhe a interações humanas.

“Perfis falsos e Pessoas contratadas” em vários países também são disseminadores de notícias falsas nas eleições.

Os autores de FN podem ser acusados de crimes de menor potencial ofensivo, como calúnia, injúria e difamação.

Mas como saber se uma notícia é falsa ou não?

- Antes de curtir, comentar ou compartilhar uma notícia, verifique a fonte dessa informação.

- Procure confirmar a notícia em meios de comunicação de grandes jornais, se você não encontrar a notícia nesses grandes meios de comunicação, não divulgue até ter certeza que a notícia é verdadeira.

- Cuidado com sites de humor ou sensacionalistas.

- Leia toda a notícia, muitas vezes o título não corresponde a realidade. Manchetes sensacionalistas merecem leitura com mais atenção.

- Confira a data de publicação. Notícias antigas podem ser confundidas com fatos que não correspondem a atualidade,

- “Robos” e “Pessoas contratadas/Perfis falsos”: são difíceis de detectarmos então fique atento a fonte das informações e fique atento as respostas, geralmente os ‘robôs’ adoram criar distúrbios nas conversas, postam muitos links e desviam o foco principal do debate.